Ensinando com tecnologias Móveis- III – SNTDE 2018

Ensinando com tecnologias digitais Móveis – III SNTDE 2018

evento-2

Fui convidada a participar do III Simpósio Nacional de Tecnologias Digitais na Educação – III – SNTDE 2018, promovido pelo Grupo de Estudos e Pesquisas Sobre Tecnologias Digitais na Educação – GEP-TDE da Universidade Federal do Maranhão – UFMA. O objetivo do evento foi estimular a discussão sobre o uso pedagógico das tecnologias móveis na educação, assim como a apresentação de trabalhos originais relacionados às temáticas deste evento. O III – SNTDE 2018 foi realizado entre os dias 25 e 27 de Julho de 2018 nas dependências do Centro de Ciências Humanas da Universidade Federal do Maranhão em São Luís – MA.

25/07/2018- Ministrei uma oficina com o título:

Explorando as Tecnologias Digitais móveis de Informação e Comunicação (TDIC) em sala de aula: gêneros digitais – Leitura on-line e produção textual.

img_6528Foi uma oficina super produtiva. Uma troca de energia.

Para enquadrar nossos experimentos com gêneros digitais, começamos dizendo que o conceito de gênero digital têm as seguintes características:

1-Um gênero digital deve ter um nome (por exemplo, “emails”,  “tweets” e “blogs” são nomes de gênero).

2-Um gênero é reconhecido dentro de uma comunidade (por exemplo, tweets são facilmente reconhecidos pelos assinantes do Twitter, enquanto esse gênero pode ser desconhecido para pessoas  que não usam as mídias digitais).

3-Um gênero pode ser produzido ou recuperado durante uma tarefa.

evento-64-Um gênero tem convenções específicas que são frequentemente refletidas na organização textual.

5-Um gênero gera expectativas sobre a organização do documento e o propósito retórico.

6-Um gênero tem uma função linguística e finalidade retórica.

7-Existe uma relação entre a situação comunicativa em que um gênero é usado e os traços textuais e linguísticos de um gênero específico.

8-Um documento pode ser atribuído a vários gêneros.

9-Um gênero pode mudar com o tempo. É um artefato cultural (cultura aqui inclui sociedade, mídia, tecnologia, etc.).

O conceito de gênero é difícil de definir de maneira simples, porque herda todas as idiossincrasias e ambiguidades que caracterizam a linguagem e a comunicação humana em geral.

Gente, 3 horas e meia de conversa. Imagine a quantidade de informação. Quero repetir! hahah

26/07/2018- Fiz uma palestra com o título:

Como trabalhar com as tecnologias digitais  móveis sem internet em sala de aula: teoria e prática

img_6550

Mas aqui eu falei que a tecnologia introduz mudanças estruturais fundamentais que podem ser essenciais para alcançar melhorias significativas na produtividade. Ela é usada para dar suporte ao ensino e ao aprendizado, a tecnologia infunde salas de aula com ferramentas digitais de aprendizado, como computadores e dispositivos portáteis; expande as ofertas de cursos, experiências e materiais de aprendizagem; apoia a aprendizagem 24 horas por dia, 7 dias por semana; constrói habilidades do século XXI ; aumenta o engajamento e a motivação do aluno; e acelera a aprendizagem. A tecnologia também tem o poder de transformar o ensino, introduzindo um novo modelo de ensino conectado. Este modelo liga os professores aos seus alunos e ao conteúdo profissional, recursos e sistemas para ajudá-los a melhorar sua própria instrução e personalizar a aprendizagem.

Eu só tenho que agradecer o convite e a grande experiência de  trabalhar com a formação de professores.

Obrigada pelo convite, prof. Dr. João Batista Bottentuit Junior ( UFMA) e parabéns pela organização do evento.

E o meu muito obrigada por todos os professores que participaram e interagiram  com meus conhecimentos.

Agora veja o álbum com algumas fotos.

III Simpósio Nacional de Tecnologias Digitais na Educação

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *